24 abril 2014

Paixão do Oriente: O início


Como tudo começou...

Me mudei para Índia em 2 de junho de 2013, mas especificamente para Jaipur, uma cidade do estado do Rajastão, um local desértico que se localiza a magia da Índia: palácios, fortes, elefantes pintados, camelos, histórias de reis e rainhas, contos de amor... Ahhh... a cidade dos sonhos, pensei!

Estava morando na Índia por 7 meses e não havia encontrado ninguém que me fizesse flutuar, muito menos que fizesse meu coração bater mais forte. Estava com a ideia fixa de que não me envolveria com ninguém na Índia, que seria apenas uma experiência em minha vida que eu não estabeleceria laços com ninguém de lá. Até que o destino me surpreendeu.

Palácio Hawa Mahal - Pink City - Jaipur - Índia

Eu frequentava semanalmente o market de Jaipur, eu amava aquela bagunça de lojas indianas e os vendedores barganhando os preços e eu sempre comprava alguma coisa, a Pink City sempre foi meu lugar favorito de Jaipur juntamente com o palácio Hawa Mahal que se localiza no mesmo lugar, então sempre estava na rua do palácios das janelas coloridas olhando as lojas de sare e de souvenirs. Inclusive até alguns vendedores dessa rua já me conheciam, afinal era um lugar que eu ia desde quando cheguei na Índia.


Um dia como qualquer outro estava andando nessa rua com uma colega brasileira também, estávamos falando português e de repente um rapaz veio puxar papo com minha colega para entrar na loja dele, eu nem reparei, estava cansada e queria ir embora. Até que ele veio falar comigo e quando eu olhei para ele, não sei o que houve, simplesmente perdi a vontade de ir embora, e quanto mais ele falava, mais eu queria ouvir, porém sou mais reservada e não dei muito papo, apenas interagi de uma forma sutil. Na época eu estava completamente interessada na cultura islâmica, pesquisava, ia nos bairros muçulmanos, porém como não conhecia ninguém do islã não podia me aprofundar melhor, e então eu perguntei a qual religião ele pertencia, e ele disse: "Sou muçulmano". Automaticamente fiquei super feliz de finalmente ter a oportunidade de ir nos bairros muçulmanos na Índia, porém ele era um estranho que me fascinou desde o primeiro momento. 



Ele me pediu meu telefone e eu nunca dou telefone a estranhos, mas eu disse na hora e ele me deu o dele.
Cheguei em casa agoniada pensando no rapaz e o adicionei no WhatsApp app e mandei uma mensagem: "Olá, nos conhecemos hoje, lembra de mim?"
E conversamos durante horas via WhatsApp app e ele me convidou para ir no dia seguinte nos bairros muçulmanos, eu disse que tentaria ir, mas pensando: " Uhuuuul!!!! Vou com certeza!"


No dia seguinte ele me ligou falando para eu encontrá-lo no market para irmos juntos aos locais islâmicos, porém eu disse que não iria, que era meio longe e etc, então ele veio me buscar em casa de moto e conheci todos os lugares muçulmanos possíveis e eu fiquei encantada, com ele, com os lugares, com tudo... Me senti naquele filme "O exótico Hotel Mari gold" que conta a história de um grupo de ingleses que foram para Jaipur.

- Caroline Moreira

Postar um comentário
© Carol Sem Roteiros - 2014. Todos os direitos reservados.
Criado por: Leonardo Nery e Caroline Moreira.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo